terça-feira, 20 de julho de 2010

Congruo tempore et congruo loco



cada movimento teu me sustenta
tua insistência em ser você mesmo
me dói por vezes um pouco - pois dói insistir em te querer

mas quando você senta e diz o que quer
cita tantos e cita até mesmo eu,
eu que em meu covarde temor ainda te inspiro, respiro.

tudo incerto, tudo evidente.
tudo queima,
nunca chove por aqui,
apenas um vento substancioso vezenquando,
somos puro poema.

grite, porque aqui nada morre.
e quando eu já não mais caminhar,
te dou a des - honra de me modificar.
nossas veias se entreteceram, meu bem.

2 comentários:

Lady Rouge disse...

platonicismo ou dualidade??

rs
bjos

Noor el Shams disse...

incerteza