terça-feira, 13 de abril de 2010

Almas Gêmeas



"...Tudo que se foi vivido
Me preparou pra você
Não se ofenda
Com meus amores de antes
Todos tornaram-se pontes
Pra que eu chegasse a você... "
(Jorge Vercillo)


Ninguém jamais conseguiu explicar como foram criadas as almas gêmeas. Vou explicar aqui um pouco do que aprendi sobre as almas gêmeas.

Este conceito de que o amor das almas gêmeas é eterno, inesgotável, e  que vivem muitas vidas e se encontram, de uma maneira ou de outra, em todas elas certamente está baseada na crença da evolução espiritual. Todos procuram sua cara metade, ou sua "alma gêmea". O objetivo desse tipo de reencontro é proporcionar às pessoas uma oportunidade para se entenderem como irmãos e fazerem escolhas diferentes das que fizeram em outras vidas. Nessas uniões se repetem padrões emocionais vividos em outras épocas para que os envolvidos desenvolvam uma forma mais iluminada de lidar com a mesma situação.

A única responsabilidade de cada um é consigo mesmo. A importância desta compreensão é fundamental para que possamos sair dos relacionamentos tridimensionais que tornam as pessoas dependentes de algo/alguém fora delas. A visão distorcida do que significa alma gêmea faz com que as pessoas procurem sua outra metade, ilusão que as leva para fora de si mesmas, esquecendo-se da sua origem divina, onde somos inteiros; somos o masculino e o feminino, somos o todo."Ninguém é metade de ninguém."

Essa noção “imatura” do conceito de almas gêmeas nos leva a entender que somos essencialmente femininos ou masculinos e que precisamos da nossa outra metade para completarmos uma unidade. E a realidade é que somos inteiros, somos yin e yang, e enquanto não aprendermos a reconhecer cada uma dessas partes dentro de nós e integrá-las, estaremos atraindo relacionamentos de dependência.

Você deve estar se perguntando: Então as almas gêmeas não existem? Elas existem, mas, são idênticas em sentimento, em amor, vibração, princípios e ética. São seres livres e independentes, que escolhem compartilhar sua vida com outro ser igual em essência. Não estão juntos para resgatar ou aprender alguma coisa pois almas gêmeas não têm função na dualidade. Seus propósitos são sempre divinos. Somente quando nos identificamos com a divindade dentro de nós, somos capazes de encontrar nossa alma gêmea. Quando nos tornamos conscientes de nossa unidade, nossa jornada de volta à casa do Pai começa. Nos tornamos menos ligados a coisas externas, como status, fama, dinheiro ou prestígio. Compreendemos que a chave da felicidade não é a experiência em si, mas sim , a maneira como vivemos esta experiência. Criamos nossa própria felicidade ou infelicidade através da consciência evoluída.

O fato é que, embora sejamos genuinamente sábios, é através do exercício de compartilhar a sabedoria individual que nos tornamos pessoas completas e imensuravelmente mais preparadas para a vida e para o amor. É a humildade de ensinar e, principalmente, a de aprender que nos torna aptos à felicidade.

3 comentários:

Carmen Ramos disse...

Lindo texto minha querida amiga. Parabéns pelo blog e pelo espaço. Semana que vem te ligo par marcar uma consulta. Beijos

Noor el Shams disse...

Obrigada linda !! Aguardo seu contato !!!

Joana disse...

Oiee flor :) Achei mto linduuu seu texto. Aproveitei sua dica e vi o filme. MARAVILHOSO !!! Sem palavras, é d+ ! Sucesso e amor pra ti garota linda